quarta-feira, 17 de Dezembro de 2008

Teoria dos dois Factores

Esta teoria esta incorporada na teoria do conteúdo da motivação, desenvolvida por Frederik Hergberg, com base num estudo efectuado sobre satisfação de necessidades e o seu impacto na motivação de engenheiros e contabilistas.
Para se poder efectuar o seu estudo, Herzberg pediu a esses mesmos engenheiros e contabilistas, que reflectissem sobre situações no seu trabalho, em que se sentiram bem e mal e consequentemente as situações que causaram tais sentimentos.
Como é de esperar, muitas foram as situações que causaram tais sentimentos, mas apesar de tal, foi-lhe possível tirar duas conclusões. A primeira conclusão de Herzberg suscitou-se quando notou que muitos dos factores tinham sido identificados pelos gestores de como podendo motivar os seus subordinados, mas que de facto contribuíram de uma forma mais intensa para o descontentamento quando este não estavam presentes, Herzberg chamou-lhes factores de manutenção.
Alguns destes factores são relações interpessoais entre colegas, entre superior e subordinados e vice-versa, salário, vida pessoal, entre outros.
A segunda conclusão diz respeito a algumas condições de trabalho que se traduziu em altos níveis de motivação e satisfação no trabalho e quando estes não estão particularmente presentes, o caminho para a satisfação aumentar gradualmente.
A esta conclusão Herzberg nomeou seis gestores de motivação ou de satisfação, tais como, realização, reconhecimento, progresso, responsabilidade, possibilidade de valorização pessoal e o próprio trabalho.
Em suma, concluímos que os gestores de manutenção causam muita insatisfação quando não estão presentes, mas não são geradores de uma forte motivação quando estão presentes. Numa outra perspectiva, os factores do segundo grupo conduziu a uma forte motivação e satisfação quando presentes, mas não causa insatisfação quando ausentes.
Uma das grandes descobertas deste estudo, reflecte que quando os empregados se encontram extremamente motivados têm uma grande tolerância para suportar a insatisfação derivada pelos factores de manutenção, mas é importante frisar k o contrario não é verdadeiro.
Em tempos os gestores usavam a compensa monetárias, regalias sociais e melhores condições de trabalho, mas a verdade é que os resultados dessas acções não contribuiu para que os subordinados trabalhassem mais arduamente. Concluísse então, que os factores de manutenção não podem ser centralizados pelos gestores, mas sim usar factores motivadores, e então assim, a motivação ocorrerá.

Sem comentários: